PROCTOLOGIA

A PROCTOLOGIA (COLOPROCTOLOGIA) faz parte da Gastroenterologia que trata das doenças do intestino grosso, do reto, canal anal e região perianal.
As doenças mais comumente tratadas são as orificiais, ou seja hemorróidas, fissuras anais, fístulas perianais, cistos pilonidais, condilomas e tumores do canal anal. As doenças do reto e do colo incluem a retocolite ulcerativa, doença de Crohn, diverticulite e tumores.

TIPOS DE LASER EMPREGADOS NO TRATAMENTO

No início do aparecimento do laser foi empregado o laser Nd:YAG (Neodímio:YAG), com resultados não muito animadores. O uso do laser de CO2 proporcionou resultados melhores. Com o advento do "scanner" e do laser pulsado houve uma melhora substancial no resultado das cirurgias proctológicas e atualmente emprega-se o laser de diodo e plasma de argônio para os procedimentos endoscópicos.
Nas hemorróidas, fissuras, fístulas, cistos pilonidais e condilomas pode-se empregar o laser de CO2, Diodo ou Argônio. Hoje, a melhor relação custo/benefício ainda é a do CO2. Seu poder de corte é preciso e a lesão térmica é mínima (+ 80 m); as deficiências ficam por conta da não utilização em procedimentos endoscópicos com aparelhos flexíveis, uma vez que o laser de CO2 não se propaga por fibra óptica e pela deficiência na hemostasia.
O laser de Diodo tem melhor ação hemostática que o laser de CO2, mas o "corte" é menos preciso. Tem a vantagem de ser conduzido por fibras ópticas, sendo recomendado nos pacientes indicados ao tratamento paliativo de tumores de colo (desobstrução, vaporização para evitar hemorragias) ou lesões benignas. Trabalhos clínicos e experimentais estão sendo conduzidos para determinar novos meios de utilizar o laser de diodo nas cirurgias orificiais.
O laser de argônio é pouco utilizado em nosso meio para essa finalidade. É mais agressivo que o laser de diodo, provocando maior lesão térmica e com maior potencial de complicações.

 

CUIDADOS PRÉ E PÓS-OPERATÓRIOS

É preciso distinguir aqui de que tipo de cirurgia estamos falando. As cirurgias do colo deverão seguir a padronização normal para limpeza mecânica, antibioticoterapia profilática, etc, que varia de uma equipe para outra. Para as cirurgias orificiais não há necessidade de um protocolo rígido, podendo ser realizada mesmo sem a limpeza com uso de laxantes ou enemas (lavagens).
As cirurgias orificiais podem ser realizadas em regime ambulatorial com o paciente permanecendo em média 1 hora após a operação no ambiente da Clínica.


DICAS PREVENÇÃO E CRENÇAS


A prevenção das hemorróidas se faz por meio da manutenção de um hábito intestinal saudável, boa hidratação, dieta rica em resíduos e evitando traumatismos com o uso inadequado do papel higiênico. Mesmo assim, fatores hereditários, tipo de trabalho e situações em que haja aumento da pressão intra-abdominal não são passíveis de controle.
As técnicas empregadas determinam a retirada do(s) mamilo(s) hemorroidário(s); isto responde a principal dúvida de quem se submete à cirurgia: hemorróidas não voltam. Acontece porém que no anus não existem apenas os mamilos comprometidos mas veias que não estão dilatadas neste momento mas que, em função da não prevenção, podem vir a formar novas hemorróidas. A hereditariedade é fator importante para o surgimento de hemorróidas; pessoas com antecedentes familiares de hemorróidas têm mais chance de desenvolver a doença.
Hoje são poucos os planos de saúde que cobrem a cirurgia proctológica a laser mas, devido a diminuição dos custos em função principalmente da redução da permanência hospitalar, esta operação está ao alcance de grande parcela da população.


Responsável: Dr. Carlos Alberto Uzum